Mensagem do terceiro anjo

ATENÇÃO!

Estamos proclamando a mais urgente mensagem já enviada a um mundo prestes a perecer. Estamos hoje lhes apresentando o ÚLTIMO CONVITE de Deus. Nosso Senhor Jesus Cristo disse: “E este evangelho do reino será pregado no mundo inteiro, em testemunho a todas as nações, e então virá o fim” (Mat. 24:14).

Em cumprimento às palavras de Jesus Cristo, o profeta do Apocalipse disse: “E vi outro anjo voando pelo meio do céu, e tinha um evangelho eterno para proclamar aos que habitam sobre a terra e a toda nação, e tribo, e língua, e povo…” (Apoc. 14:6-7).

O evangelho do reino, que Jesus Cristo disse que seria pregado em todo o mundo, é o mesmo evangelho eterno proclamado aos habitantes da terra pelos anjos do Apocalipse (Mat. 24:14; Marc. 16:15; Apoc. 14:6-1 0). Este evangelho implica em adoração. Veja, o anjo clama em alta voz: “Temei a Deus e dai-Lhe glória… Adorai Aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas” (Apoc. 14:6-7).

O terceiro anjo, também com grande voz, adverte: “… Se alguém adorar a besta e a sua imagem, e receber o sinal na fronte, ou na mão, também o tal beberá do vinho da ira de Deus, que se acha preparado sem mistura, no cálice da Sua ira; e será atormentado com fogo e enxofre diante dos santos anjos e diante do Cordeiro” (Apoc. 14:9-10). O cerne do evangelho do reino é: ADORAÇÃO.

Ou adoramos o Deus criador que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas e recebemos o Seu sinal, ou seja, o Seu selo (Ezequiel 20:20 e Apoc. 7:2), ou adoramos a besta, e também recebemos o seu sinal, ou a sua marca.

Sabemos que um selo é um sinal de autenticidade, é a marca de poder de uma autoridade constituída, instrumento muito usado nos tempos passados (lembrem-se do tempo da monarquia.) Um selo autêntico devia conter o nome da autoridade, bem como o seu cargo e a sua jurisdição.

O Apocalipse diz: “E vi outro anjo subir do lado do sol nascente, tendo o selo do Deus vivo; e clamou com grande voz aos quatro anjos, a quem fora dado que danificassem a terra e o mar, dizendo: Não danifiques nem a terra, nem o mar, nem as árvores, até que selemos na sua fronte os servos do nosso Deus” (Apoc. 7:2-3).

Qual é o sinal do Deus vivo? Qual é a marca da Sua autoridade? Qual é o selo do Deus vivo, com o qual havemos de ser selados pelo anjo do Apocalipse?

O Deus criador disse: “Lembra-te do dia do Sábado para o santificar. Seis dias trabalharás, e farás todo o teu trabalho; mas o sétimo dia é o Sábado do Senhor teu Deus. Nesse dia não farás trabalho algum, nem tu, nem teu filho, nem tua filha, nem o teu servo, nem a tua serva, nem o teu animal, nem o estrangeiro que esta dentro das tuas portas. Porque em seis dias fez o Senhor o céu e a terra, o mar e tudo o que neles há, e ao sétimo dia descansou; por isso o Senhor abençoou o dia do Sábado e o santificou” (Êxodo 20:8-11).

Todos os mandamentos de Deus, devem ser observados e obedecidos (Ecles. 12:13; S. Tiago 2:10). Porém, no IV Mandamento da Lei, encontramos o sinal de Deus, o selo do Deus vivo. Seu nome: Deus Criador; Seu cargo: Criador; Sua jurisdição: Universo (fez o Senhor o céu e a terra, o mar e tudo o que neles há).

O Deus criador disse: “E santificai os Meus sábados; e eles servirão de sinal (selo) entre Mim e vós para que saibais que Eu Sou o Senhor vosso Deus” (Ezequiel 20:12 e 20).

Se o selo (sinal) de Deus, com o qual havemos ser selados, é o Sábado, qual será então o sinal, ou seja, a marca da besta?

A besta, segundo disse o profeta Daniel, “… cuidaria em mudar os tempos e a Lei…” (Dan. 7:25).

Besta é um animal, e biblicamente significa: rei, reino ou poder (Dan. 7:17 e 23). Conforme as profecias, este poder cuidaria de “… mudar a Lei de Deus…” (Dan. 7:25), procurando desta forma tirar a autoridade de Deus e exaltar-se em Seu lugar (II Tessalonicenses 2:1-4).

Qual foi o poder que procurou mudar a Lei de Deus? Qual foi o poder que procura mudar o IV Mandamento da Lei (que contém o nome, o cargo e a jurisdição) do Deus Criador? Qual foi o poder que promoveu mudanças na Lei de Deus e hoje ensina as nações da terra a observar essas mudanças?

Note que o 2º anjo diz que esse poder: “… a todas as nações deu a beber do vinho da ira da sua prostituição” (Apoc. 14:8).

Veja o que disse este poder: “O Domingo é nossa marca de autoridade… A Igreja está acima da Bíblia, e essa transferência da observância do Sábado é prova deste fato.” – Arquivo Católico de 01/09/1923.

A Bíblia adverte “E adorá-la-ão (a besta) todos os que habitam sobre a terra, esses cujos nomes não estão escritos no llvro da vida…” (Apoc. 13:8).

Como vimos, o evangelho eterno, que Jesus disse que seria pregado ao mundo, implica em adoração. Ou adoramos o Deus criador e obedecemos Seus mandamentos, inclusive o IV mandamento, que requer a observância e a santificação do Sábado, ou adoramos a besta, obedecendo as mudanças que ela procura fazer na Lei de Deus, recebendo assim a sua marca (o Domingo) como o sinal de sua autoridade sobre nós.

Escolha! Não há meio termo (Mat. 6:24).

Você quer receber o selo do Deus vivo (Apoc. 7:1-3)? Então aceite a Jesus Cristo como Seu Salvador pessoal (Atos 4:12; Rom. 10:13), guarde por gratidão e reconhecimento da salvação todos os mandamentos de Deus (Tiago 2:10; Ecles. 12:13; João 15:10; 1 João 2:4) e santifique o Sábado bíblico, reconhecendo assim somente o Deus criador como objeto de sua reverência e adoração (Apoc. 14:6-7; Gen. 2:1-3; Êxodo 20:8-11; Apoc. 7:1-3; Ezeq. 20:12 e 20)

Lembrem-se. No final do conflito entre o bem e o mal, o Apocalipse nos diz que só subsistirão “os que guardam os mandamentos de Deus e têm a fé de Jesus” (Apoc. 12:17, 14:12).

Compartilhe esta matéria:
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Google Buzz
  • Live
  • Orkut