O clímax da tríplice mensagem

ATENÇÃO!

Esta mensagem é de crucial importância para você. Ela poderá decidir o seu destino eterno para vida ou para morte. Não permita que qualquer motivo ou circunstância o impeça de ler esta mensagem. Este é o ÚLTIMO CONVITE de Deus a este mundo prestes a perecer.

A mais urgente mensagem de nosso Deus para nós é: “Sai dela, povo Meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas” (Apoc. 18:4). Deus nos convida a sair da Babilônia, pois o anjo do Apocalipse diz: “… Babilônia, e se tornou morada de demônios, e guarida de todo espírito imundo, e guarida de toda ave imunda e detestável” (Apoc. 18:2-3).

Babilônia significa: confusão ou desordem. Porém, em outras palavras, Deus está pedindo para sairmos da confusão e da desordem espiritual que hoje imperam neste mundo.

Você poderá estar pensando neste momento: -“eu não estou em confusão, eu não pertenço a Babilônia, eu creio em Deus, eu tenho minha fé, eu tenho minha religião, portanto esta mensagem não se aplica a mim, eu não preciso ler este texto”.

Diz a Bíblia: “Enganoso é o coração, mais do que todas as coisas, e perverso; quem o poderá conhecer? (Jer. 17:9). Por esse motivo, admoesta o apóstolo: Examinai tudo e retende o que é bom” (1 Tess. 5:21). Diz o profeta Isaias: “À Lei e ao Testemunho! Se eles não falarem segundo esta palavra, nunca lhes raiará a alva” (Isaías 8:20). Ore a Deus, e leia esta mensagem, tendo em mente as palavras de Jesus: “Se alguém quiser fazer a vontade de Deus, há de saber se a doutrina é dEle, ou se Eu falo por Mim mesmo” (João 7:17). O conflito final entre o bem e o mal implica em adoração: Deus criador x Besta.

Veja, o 1º anjo clama em alta voz: “Temei a Deus e dai-Lhe glória… Adorai Aquele que fez o céu, e a terra, e o mar, e as fontes das águas.” (Apoc. 14:6-7). O 3º anjo, com grande voz, adverte: “Se alguém adorar a besta e a sua imagem, e receber o sinal na fronte ou na mão…”  (Apoc. 14:9-1 0). A pergunta que podemos fazer neste momento é: eu estou reverenciando e adorando a Deus? A igreja que eu frequento está reverenciando e adorando ao Deus criador, ou por causa da confusão religiosa existente em nossos dias, estamos mesmo inconscientemente adorando a besta? Estas perguntas devem ser respondidas corretamente e com sinceridade, à luz das Escrituras (João 5:39). Dessa resposta depende o nosso destino eterno, para vida ou para morte. A Bíblia diz que os servos de Deus serão marcados com o selo (sinal) do Deus vivo (Apoc. 7:2-3). Qual é o selo de Deus, com o qual havemos de ser selados? Qual é o sinal do Deus vivo? Qual é a marca de Seu poder e autoridade? Selo é um sinal de autenticidade, é a marca de poder de uma autoridade (lembre-se do tempo da monarquia). Em resumo, o selo é uma assinatura. Um selo deve conter o nome da autoridade, o seu cargo e a sua jurisdição. Todos os mandamentos de Deus devem ser observados e obedecidos (Ecles. 12:13; S. Tiago 2:10; 1 João 2:4; João 15:10). Porém, no IV Mandamento da Lei, que Deus escreveu com Seus próprios dedos, encontramos o sinal de Deus, o selo do Deus vivo, contendo o Seu nome: Deus Criador, Seu cargo: Criador, Sua jurisdição: Universo (Êxodo 20:8-11; compare com Apoc. 14:7).

Disse o Deus criador: E santificai os Meus sábados; e eles servirão de sinal (selo) entre Mim e Ezequiel 20:12 e 20). Como vimos, o Sábado é o sinal, é o selo de Deus, com o qual havemos de ser selados. Qual é então o sinal, ou seja, a marca da besta? (Apoc. 13:11-16). Besta é um animal e biblicamente significa: um rei, um reino ou um poder (Dan. 7:17 e 23). Este poder, a besta, conforme as profecias, cuidaria de mudar a Lei de Deus, procurando desta forma tirar a autoridade de Deus e exaltar-se no lugar de Deus (Daniel. 7:25; II Tessalonicenses 2:1-4). Qual foi o poder que procurou mudar a Lei de Deus? Qual foi o poder que procurou mudar o IV Mandamento da Lei, que contém o nome, o cargo e a jurisdição do Deus criador, semeando a confusão hoje reinante no mundo político e religioso? Qual foi o poder que promoveu mudanças na Lei de Deus e ensina todas as naçôes da terra a observar essas mudanças? (Apoc. 14:8).

O imperador Romano Constantino, no dia sete de março de 321 DC, promulgou, aliado ao poder religioso, um decreto dominical pagão, instituindo civilmente no meio cristão a santificação do Domingo, em lugar do Sábado. A História nos mostra que os pontífices romanos foram quem sucederam o trono de Constantino. Este poder mudou a Lei de Deus. Veja o que disse este poder: “O Domingo é nossa marca de autoridade… A Igreja está acima da Bíblia, e essa transferência da observação do Sábado é prova deste fato” – Arquivo Católico de 01/09/1923 (ler também Encíclica “Dies Domini”). Deus tem filhos e filhas em diversas igrejas. Enganados, muitos desses filhos estão adorando a besta, quando observam e ensinam ser o Domingo (marca de autoridade da besta) o dia do Senhor” (ler. Mateus 15:9 e João 15:10). Veja qual será o resultado, se conscientemente persistirem neste ato (Apoc. 14:11; 20:10).

Disse Jesus: “Tenho ainda outras ovelhas que não são deste aprisco; a essas também Me importa conduzir; e elas ouvirão a Minha voz, e haverá um rebanho e um pastor (João 10:16; Heb. 4:7).

Se você faz parte de uma denominação que professa adorar ao Deus criador, mas ignora, ou não observa, todos os 10 Mandamentos de Deus (Êxodo. 20:3-17) incluindo o IV Mandamento que requer a observância do Sábado (selo de Deus) como o dia do Senhor, a ordem de Deus é: “Sai dela, povo Meu, para que não sejas participante dos seus pecados, e para que não incorras nas suas pragas”. (Apoc. 18:4; 14:11 e 20:10).

No final do conflito entre o bem e o mal, o Apocalipse nos diz que só subsistirão “os que guardam os mandamentos de Deus e têm a fé de Jesus” (Apoc. 12:17; 14:12).

Compartilhe esta matéria:
  • del.icio.us
  • Facebook
  • Yahoo! Buzz
  • Twitter
  • Google Bookmarks
  • Google Buzz
  • Live
  • Orkut